DPDgroup anuncia primeira rota comercial de entrega de encomendas por drones

12/20/2016 - 17:10

Chronopost defende importância de salvaguardar a segurança pessoal e material, mas alerta que demasiadas restrições ao uso de drones podem limitar potencial de inovação das empresas e comunidades em Portugal.

A Direcção-Geral da Aviação Civil (DGAC) francesa autorizou o DPDgroup, a filial de transporte expresso de encomendas do grupo La Poste, a operar uma linha comercial no departamento de Var, em França, tornando assim possível, pela primeira vez, uma rota comercial para a entrega de encomendas por drones.

Após dois anos de testes, coroados com o sucesso, o DPDgroup, a rede internacional de entrega de encomendas da GeoPost e subsidiária do Grupo La Poste, recebeu autorização da Direcção-Geral da Aviação Civil francesa para a entrega de encomendas com drones numa rota regular de 15 km. 

Uma vez por semana, o drone DPDgroup viaja entre Saint-Maximin-La-Sainte-Beaume e Pourrières, no sul de França, para fazer a entrega de encomendas numa incubadora de empresas, incluindo uma dúzia de startups especializadas em tecnologias. Tanto para a partida como para a chegada do drone, é utilizado um terminal de entrega - o ponto Pickup - para assegurar as fases de carregamento das encomendas, desde a descolagem até ao desembarque e colocação do pacote. O terminal possui:

  • uma estrutura que protege o acesso ao drone durante as fases de aterragem e de descolagem;
  • um sistema automatizado de transporte para o transporte da encomenda;
  • um sistema electrónico dedicado à segurança das operações de manuseamento em torno do drone.


"Lei dos Dronoes" pode limitar potencial de inovação das empresas e comunidades

Actualmente, apenas a Chronopost e a DPD França têm a opção de enviar encomendas por drone até um ponto Pickup instalado propositadamente para o efeito, mas a possibilidade desta solução ser alargada a outros países é uma possibilidade. No caso concreto de Portugal, esta seria uma abordagem interessante, pela maturidade do mercado, sendo hoje a inovação uma necessidade estratégica para a maioria das empresas.

Tal inovação representa um passo em frente e uma nova maneira de abordar a questão das entregas de encomendas, especialmente quando se trata de áreas de dificil acesso para as quais as entregas por drones podem ser uma solução. Por isso, e apesar da natural importância de salvaguardar a segurança pessoal e material, demasiadas restrições ao uso de drones podem limitar potencial de inovação das empresas e comunidades em Portugal.
É importante considerar algum alívio às restrições impostas recentemente na chamada "Lei dos drones" e olhar para este fenómeno do ponto de vista dos benefícios que o uso regulado de drones pode trazer para as comunidades.

Um projecto de longo prazo

Foi em Junho de 2014 que o DPDgroup, em parceria com a Atechsys, uma PME sediada no sul de França, começou a realizar testes para desenvolver o drone. Depois de vários testes e mais 600 horas de voo, o drone DPDgroup demonstrou, em Setembro de 2015, a sua capacidade de voar em completa autonomia ao transportar um pacote de 1,5kg durante mais de 14km.
Estes testes validam a abordagem escolhida pelo DPDgroup, visando o uso de drones para acesso a áreas de dificil acesso (montanhas, ilhas, áreas rurais, etc).
Esta primeira rota comercial representa uma nova etapa no programa liderado pelo DPDgroup. Depois da fase de teste, a fase de experimentação na rota regular pode agora começar.